Introdução

O SIEM (Security Information and Event Management) é uma ferramenta essencial para o gerenciamento de informações de segurança e eventos em tempo real. A eficácia de um sistema SIEM depende significativamente da qualidade e estrutura dos logs que recebe. Nesta introdução, exploraremos brevemente o que é SIEM e por que é crucial ter logs bem estruturados para garantir uma segurança eficaz.

LOGs

Importância dos Logs Padronizados

LOGs padronizados desempenham um papel crucial na correlação de eventos e na detecção de ameaças em sistemas de segurança, especialmente em plataformas como o SIEM (Security Information and Event Management). Rogério Salerno, especialista da forense.io, enfatiza a importância de uma estruturação meticulosa dos logs, destacando que essa organização é fundamental para acelerar a apuração de incidentes de segurança. A consistência e a padronização dos logs não apenas facilitam a identificação de padrões anormais e possíveis brechas de segurança, mas também são essenciais para manter a integridade dos processos de auditoria.

Além disso, a padronização adequada dos logs ajuda significativamente no cumprimento de normas regulatórias. Muitas regulamentações de segurança e privacidade, como GDPR, HIPAA, e SOX, exigem que as organizações mantenham registros detalhados de atividades para garantir a transparência e a responsabilidade. Logs bem organizados e consistentes asseguram que as organizações possam fornecer evidências de conformidade durante as auditorias, reduzindo riscos legais e melhorando a governança corporativa. Assim, a prática de manter logs padronizados não é apenas uma medida de segurança, mas uma estratégia integral para fortalecer a conformidade regulatória e a resiliência organizacional em face de ameaças cibernéticas.

Campos Essenciais nos Logs

Para uma análise eficaz e gestão de eventos de segurança com SIEM (Security Information and Event Management), cada entrada de log deve conter minimamente esses campos:

  1. Timestamp:
    • TimeGenerated: Este campo é crucial pois indica quando o evento foi gerado. O Azure Sentinel usa essa informação para sequenciar os eventos no tempo. Certifique-se de que o timestamp esteja no formato correto (normalmente em UTC) para evitar inconsistências de zona horária.
  2. Identificação do Evento:
    • EventID: Um código numérico ou identificador único para o tipo de evento. Isso ajuda a classificar e filtrar os eventos de log facilmente dentro do Sentinel.
  3. Informações do Usuário:
    • Account: Nome de usuário ou identificador de conta associado ao evento. Isso é especialmente importante para logs relacionados a atividades de usuário, como logins ou alterações de configuração.
  4. Endereço IP:
    • IpAddress: O endereço IP do dispositivo ou da origem do tráfego pode ser crucial para investigações de segurança e localização da origem de uma ameaça ou acesso não autorizado.
  5. Informações de Recurso:
    • Resource: Detalhes sobre o recurso que está sendo acessado ou modificado. Isso pode ser um nome de arquivo, URL, ID de recurso na nuvem, etc.
  6. Detalhes da Ação:
    • Activity: Uma descrição do que foi feito, como “login bem-sucedido”, “acesso negado”, “arquivo modificado”, etc. Isso ajuda a entender rapidamente a natureza do evento.
  7. Resultado do Evento:
    • Outcome: Resultado da ação (por exemplo, sucesso, falha). Este campo é fundamental para identificar tentativas de ação que não foram concluídas como esperado, o que pode ser um indicativo de atividade suspeita.
  8. Severidade:
    • Severity: Um valor que indica a gravidade do evento. Isso pode ajudar a priorizar a resposta e a análise de eventos críticos.

Esses campos ajudam na análise detalhada, correlação de eventos e conformidade com normas de segurança, melhorando a capacidade de detecção de ameaças e resposta a incidentes.

Implementação de Práticas de Segurança

Mônica Yoshida da Trustness destaca a importância de implementar a padronização dos logs em concordância com os controles de segurança existentes. Este segmento abordará métodos para implementar práticas robustas de segurança nos logs, incluindo a proteção de dados sensíveis e a importância da documentação das personalizações realizadas.

Conclusão

A padronização de logs transcende uma simples recomendação; é um requisito imprescindível para garantir a eficiência e eficácia dos sistemas de análise de segurança, como o SIEM. É essencial manter os logs bem estruturados e consistentes para fortalecer a segurança organizacional. Ricardo Esper, da Ness, destaca: “Implementar uma padronização rigorosa nos logs é vital para uma resposta rápida e precisa aos incidentes de segurança.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima